3º Domingo após a Epifania

Fé e Cura

📖 Evangelho de Jesus Cristo segundo São Mateus 8, 1-13


Enquanto Jesus descia o monte, seguiam-no grandes multidões. Nisto um leproso chegou-se em adoração, rogando-lhe: “Senhor, se quiseres, podes curar-me!”

Jesus, estendendo a mão, tocou-lhe e disse: “Sim, quero, sê curado!” E ficou imediatamente curado da lepra. Jesus disse-lhe: “Presta atenção: não fales com ninguém e vai apresentar-te ao sacerdote. Leva contigo a oferta que Moisés estabeleceu, para que lhes sirva de testemunho.”


Quando Jesus chegou a Cafarnaum, aproximou-se um oficial romano, suplicando-lhe: “Senhor, o meu servo está de cama, paralítico e cheio de dores.”

Jesus respondeu-lhe: “Está bem, irei curá-lo.”

O oficial retorquiu: “Senhor, não mereço que entres na minha casa! Se somente disseres: ‘Fica curado’, o meu servo ficará bom! Eu sei, porque também recebo ordens dos meus superiores e mando nos meus soldados. Digo a este: ‘Vai’ e ele vai. E àquele: ‘Vem’ e ele vem. E ao meu servo: ‘Faz isto ou aquilo’ e ele faz.”

Ao ouvir estas palavras, Jesus ficou tão impressionado que disse para os que o seguiam: “É realmente como vos digo: ainda não encontrei ninguém na terra de Israel com uma fé assim! E digo-vos que muitos virão do Leste e do Oeste e sentar-se-ão no reino dos céus com Abraão, Isaque e Jacó; enquanto aqueles para quem o reino foi preparado serão lançados na escuridão exterior, onde haverá choro e ranger de dentes.”


E voltando-se para o oficial romano: “Vai para casa. Aquilo em que tinhas fé já se realizou!” O servo ficou curado naquele momento.


Glória a Ti, Senhor! Glória a Ti!


🔊 Comentário de Santo Hilário (c. 315-367) bispo de Poitiers, ao Evangelho de São Mateus 8, 5

(a partir da trad. SC 254, p. 199, rev.)


No Evangelho de São Mateus, Jesus acabara de curar dois estrangeiros, em território pagão. Neste paralítico, é a totalidade dos pagãos que se apresenta a Cristo para ser curada. Mas mesmo os termos dessa cura devem ser analisados: o que Ele diz ao paralítico não é: «Fica curado», nem: «Levanta-te e anda», mas: «Filho, tem confiança, os teus pecados estão perdoados» (Mt 9,2).


Num só homem, Adão, os pecados foram transmitidos a todos os povos. É por isso que aquele a quem Cristo chama filho se apresenta para ser curado […]; porque esse filho é a primeira obra de Deus […], que agora recebe a misericórdia que provém do perdão da primeira desobediência. Com efeito, não vemos que este paralítico tenha cometido pecado; de resto, o Senhor diz noutra passagem que a cegueira de nascença não é contraída por causa do pecado, próprio ou hereditário (Jo 9,3). Só Deus pode realizar a remissão dos pecados; por isso, Aquele que os remiu é Deus.


E, para que possamos perceber que assumiu a nossa carne para redimir as almas dos seus pecados e lhes obter a ressurreição, diz-lhes: «Para que saibais que o Filho do Homem tem na Terra poder para perdoar pecados»; e, voltando-Se para o paralítico, ordena-lhe: «Levanta-te, toma a tua enxerga (espécie de colchão de palha) e vai para casa.» Ter-Lhe-ia bastado dizer «Levanta-te»; mas acrescentou: «Toma a tua enxerga e vai para casa.» Primeiro concedeu a remissão dos pecados, depois mostrou o poder da ressurreição e a seguir, ao mandar remover o leito, demonstrou que a fragilidade e a dor não mais atingiriam os corpos.


Por último, ao mandar este homem curado para sua casa, ensinou que os fiéis devem encontrar o caminho que leva ao Paraíso, o caminho que Adão, pai de todos os homens, abandonara quando foi desfeito pela mancha do pecado.



🙏 Oração da Coleta do 3º Domingo após a Epifania

conforme o antigo rito galicano


Senhor nosso Deus, Tu que não queres a morte do pecador, mas que se converta e viva, purifica-nos da lepra do nosso pecado, dá-nos a graça da fé, para que cresça em nós o homem interior e que possamos sentar-nos na festa do Teu Reino, na glória do Deus três vezes santo, agora e sempre e pelos séculos dos séculos. Amém.


😇 Santo do dia: São Timóteo, discípulo de São Paulo


São Timóteo era natural de Listra, cidade romana da província de Licaônia (Ásia Menor). Nascido de pai pagão e mãe judia, chamada Eunice, ele foi criado na piedade e no amor das Sagradas Escrituras por ela e por sua avó Lois.


Durante uma primeira estada na cidade (45), o grande apóstolo São Paulo havia convertido as duas mulheres e, quando voltou alguns anos depois (c. 50), encontrou o jovem Timóteo cheio de fervor e admiração pelas lutas e sofrimentos que suportou em Nome de Cristo.


Por recomendação dos irmãos de Listra e Icônio, Paulo o batizou, impôs as mãos sobre ele e fez dele seu companheiro de trabalho e seu discípulo favorito. Ele o chama de: "meu filho amado" (I e II Tim. 1) e dá testemunho dele nas igrejas, dizendo: "É como um filho com seu pai que serviu comigo à causa de o evangelho ”(Fp 2,22). Embora o preceito da Lei tenha sido abolido por graça, o apóstolo circuncidou seu jovem discípulo, para que ele pudesse pregar aos judeus em sua sinagoga, bem como aos pagãos na ágora.


Doce, reservado, modelo obediência e humildade, São Timóteo no entanto mostrou um zelo infatigável pela pregação, como um “bom soldado de Jesus Cristo” (II Tim. 2, 3). Ele foi o representante do Apóstolo e o instrumento energético da Graça no governo das Igrejas de Deus, para a correção da moral e a preservação do "bom depósito" (II Tm 14).

De Icônio, Timóteo viajou com Paulo pela Frígia e Galácia, ajudando-o em todos os lugares na pregação e oração; então, seguindo uma visão celestial, eles passaram para a Macedônia, evangelizaram Tessalônica e Beréia, onde Timóteo permaneceu com Silas (Sylvain) enquanto Paulo estava a caminho de Atenas. Ele logo se juntou ao apóstolo, trazendo-lhe a triste notícia da furiosa resistência dos judeus de Tessalônica, e voltou para lá a fim de fortalecer e confortar os fiéis na fé (1 Ts 3: 1-5). Depois de cumprir essa missão, apressou-se em se juntar a Paulo em Corinto para trabalhar com ele na conversão da cidade.


Então, depois de ficar com seu mestre por um ano e meio em Éfeso, a metrópole da Ásia, ele foi enviado novamente a Corinto para lembrar aos fiéis os princípios da vida evangélica. Como os coríntios continuavam rebeldes às exortações de seu discípulo, São Paulo decidiu enviar Tito, levou Timóteo consigo para uma nova missão na Macedônia, com sua colaboração escreveu sua segunda carta aos coríntios e veio com ele pessoalmente para trabalhar na correção e na edificação dos fiéis.


Quando São Paulo empreendeu sua última viagem a Jerusalém, para colher os frutos da coleta recolhida em todas as Igrejas para ajudar os cristãos da Cidade Santa (Atos 20), Timóteo ainda estava entre seus companheiros de viagem. Ele compareceu à sua prisão (Atos 22 e seguintes), seguiu-o para Cesaréia e Roma durante seu primeiro cativeiro; mas de lá Paulo o enviou em uma missão para a Igreja de Filipos (Fp 2, 19-24). Ele veio para se juntar a ele no Oriente, uma vez libertado, o colocou à frente da Igreja de Éfeso, recomendando-o para organizar o culto e a vida cristã, para lutar contra os falsos mestres, para escolher com discernimento os membros da hierarquia eclesiástica e conduzir em todos os momentos o rebanho de Cristo em paz, concórdia e verdade (I Tim.). Em uma segunda carta, enviada pelo apóstolo prisioneiro em Roma e aguardando a morte, ele convida seu fiel discípulo a vir e se juntar a ele para auxiliá-lo em seus últimos momentos (2Tm 4, 8). Timóteo foi preso, mas logo solto (Hb 13,23). Ele voltou para sua diocese após a morte do apóstolo.


É relatado que ele conheceu em Éfeso São João, o Teólogo, que recebeu dele um aumento de graça e iluminação espiritual e que uma vez o Amado Apóstolo exilado em Patmos, ele governou a Igreja reunindo em si o espírito de São João e o de São Paulo. Um dia, enquanto os pagãos da cidade se preparavam para celebrar uma daquelas festas ignóbeis que sempre terminavam em orgias e assassinatos, São Timóteo tentou intervir e fazê-los recobrar o juízo. Mas essas pessoas, que haviam se tornado como bestas furiosas, se jogaram sobre ele e o espancaram. Seus discípulos mal conseguiram tirá-lo da confusão e transportá-lo meio morto para uma altura próxima, onde ele logo entregou sua alma a Deus.


O corpo de São Timóteo foi sepultado não muito longe do túmulo de São João e, muito depois, em 356, seus preciosos restos mortais foram solenemente transferidos para Constantinopla por Santo Artêmio, junto com os de Santo André e São Lucas, a ser depositado na Igreja dos Santos Apóstolos. Eles realizaram muitos milagres lá, até que os cruzados latinos os roubaram, durante a pilhagem da cidade em 1204.


Fonte: Célébrons la mémoire du Saint Apôtre Timothée.

Disponível em: http://calendrier.egliseorthodoxe.com/sts/stsjanvier/janv22.html


#3ºDomingoapósaEpifania #Epifania #SãoTimóteo #FéeCura



6 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo