A oferta que agrada a Deus

Evangelho do 5º Domingo após o Pentecostes


📖 Evangelho de Jesus Cristo, segundo São Mateus 5, 21-24

Naqueles dias, disse Jesus aos seus discípulos: “Vocês ouviram o que foi dito aos seus antepassados: ‘Não matarás’, e ‘quem matar estará sujeito a julgamento’. Mas eu lhes digo que qualquer que se irar contra seu irmão estará sujeito a julgamento. Também, qualquer que disser a seu irmão: ‘Racá’ (termo aramaico de desprezo, equivalente a tolo), será levado ao tribunal. E qualquer que disser: ‘Louco!’, corre o risco de ir para o fogo do inferno. “Portanto, se você estiver apresentando sua oferta diante do altar e ali se lembrar de que seu irmão tem algo contra você, deixe sua oferta ali, diante do altar, e vá primeiro reconciliar-se com seu irmão; depois volte e apresente sua oferta.


Glória a Ti, Senhor! Glória a Ti!

Homilia 16 de São João Crisóstomo

sobre São Mateus: "A oferta agradável a Deus"


Se então, quando você apresenta sua oferta no altar, você se lembrar que seu irmão tem algo contra você; deixe sua dádiva ali, diante do altar, e vá primeiro e reconcilie-se com seu irmão e depois volte e apresente sua dádiva.

Ó maravilhosa bondade de Deus! Ó amor que supera tudo em que podemos pensar! Ele despreza sua própria glória quando se trata de estabelecer a caridade que devemos ter uns pelos outros. Não vemos que essa ordem que Ele acaba de fazer não são ditadas pela aversão, ou por excessiva severidade, mas pelo amor extremo que Ele tem pelos homens? O que, de fato, pode haver mais ternura e caridade do que essas palavras? Que parem, disse ele, a adoração que me prestam e o sacrifício que me oferecem, porque a reconciliação entre os irmãos é o sacrifício mais agradável que se pode oferecer. É por isso que ele não diz: depois de ter oferecido o sacrifício, ou antes de oferecê-lo, mas mesmo quando você começou a oferecê-lo. Ele manda de volta aquele que o oferece para se reconciliar com seu irmão. Ele não pede que se entregue a oferta, ou que se apresse o sacrifício, mas que, mesmo quando já começou, a pessoa vá ao irmão para se reconciliar com ele.

Parece-me que o Senhor tinha duas razões para nos dar esse preceito; o primeiro a nos dizer o quanto estima a caridade; que é o sacrifício mais agradável que poderia ser oferecido a ele, e que sem ela ele não receberia outros. A segunda é fazer com que os homens se entendam de maneira muito amável.

Que aqueles que participam nas sagradas cerimônias da Divina Liturgia e que, tendo alguma inimizade e alguma aversão no coração, ousem aproximar-se da Sagrada Comunhão, ouçam estas palavras terríveis. Os que neles ainda não participaram os ouçam também, porque oferecem dons e sacrifícios a Deus, isto é, as suas orações e as suas esmolas.

A Escritura de fato diz que essas duas coisas tomam o lugar do sacrifício. O sacrifício de louvor me honrará (Salmo 50, 23). E em outro lugar: Que o levantar das minhas mãos seja tão agradável a ti como o sacrifício da tarde (Salmo 141, 2). Portanto, se você oferece sua oração a Deus nesta má disposição, vale a pena deixá-la ir e se reconciliar e depois vir e oferecê-la. Porque a caridade é preferível a tudo, e é por ela que tudo se faz. Deus se fez homem, para estabelecer caridade entre os homens. E o fim de todos os seus milagres e todo o seu sofrimento foi nos reunir em um só corpo. Amém.

😇 Santos do dia


- São João de Chinon, o recluso (+575)

- São Sansão, o hospitaleiro de Constantinopla (+560)

- São Crescente, 1º bispo de Viena (+250)


🙏 Oração

No dia que recordamos e celebramos o mistério da ressurreição, invoquemos Cristo, a nossa salvação: Em Ti, Senhor, está a nossa alegria.


Vós que com sangue redimis o vosso povo,

- dai a todos e todas, através dos vossos mistérios, a dignidade e a liberdade dos filhos e filhas de Deus.


Vós que fizestes dos vossos Apóstolos pastores do vosso rebanho,

- assisti ao nosso Bispo Primaz, Mons. Gregório, ao nosso bispo exarca Jonas, a todo o clero, seminaristas e vocacionados com a luz da vossa Sabedoria.


Vós que nos revelastes a glória do Pai,

- reúne os vossos filhos e filhas na unidade, para que o mundo reconheça o vosso amor.


Vós que dizeis bem-aventurados os que têm fome e sede de justiça,

- lembrai-vos daqueles que sofrem perseguição pelo vosso reino.


Nada, Senhor, pode nos separar do vosso amor:

- abre sua casa para os justos que morreram em sua paz.


(Intenções livres)


Voltemos a atenção do nosso coração para Deus Pai e digamos, como Jesus nos ensinou: Pai nosso.


Senhor Jesus Cristo, que assumindo a condição de servo, se humilhou à cruz para que o teu nome seja exaltado sobre todos os outros, dá a quem se tornou filho de Deus no batismo, proclamar com os seus lábios e coração o glória do Pai e de seu domínio universal, ó Salvador do mundo, que vive e reina com o Pai e o Espírito Santo, pelos séculos dos séculos. Amém.


#OraçãoDominicial #Evangelho


12 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo