A ovelha perdida e encontrada

"O Senhor é o pastor que me conduz, não me falta coisa alguma" (Sl 22(23)).


3º Domingo depois de Pentecostes


📖 Leitura do Evangelho de Jesus Cristo, segundo São Lucas 15, 1-10

Naqueles dias, todos os publicanos e pecadores chegavam para ouvir Jesus. E os fariseus e os escribas murmuravam, dizendo: Este recebe pecadores, e come com eles. E ele lhes propôs esta parábola, dizendo: Que homem dentre vós, tendo cem ovelhas, e perdendo uma delas, não deixa no deserto as noventa e nove, e vai atrás a perdida até que venha a achá-la? E achando-a, a põe sobre os seus ombros, jubiloso; E, chegando a casa, convoca os amigos e vizinhos, dizendo-lhes: Alegrai-vos comigo, porque já achei a minha ovelha perdida. Digo-vos que assim haverá alegria no céu por um pecador que se arrepende, mais do que por noventa e nove justos que não necessitam de arrependimento.

Ou qual a mulher que, tendo dez dracmas, se perder uma dracma, não acende a candeia, e varre a casa, e busca com diligência até a achar? E achando-a, convoca as amigas e vizinhas, dizendo: Alegrai-vos comigo, porque já achei a dracma perdida.

Assim vos digo que há alegria diante dos anjos de Deus por um pecador que se arrepende.


Glória a Ti, Senhor" Glória a Ti!

As três parábolas da misericórdia

Santo Ambrósio (c. 340-397),

Comentário sobre o Evangelho de Lucas


Não é por acaso que São Lucas apresenta uma sequência de três parábolas – a da ovelha que se perdera e foi reencontrada, a da dracma que tinha desaparecido e que foi achada, a do filho pródigo que se tinha perdido e que retornou à vida –, de modo que, instigados por este triplo remédio, tratemos as nossas feridas. […] Quem são este pai, este pastor, esta mulher? Não serão Deus Pai, Cristo e a Igreja? Cristo, que tomou sobre Si os teus pecados, carrega-te no seu corpo; a Igreja procura-te; o Pai acolhe-te. Como pastor, traz-te de novo ao rebanho; como mãe, procura-te; como Pai, torna a vestir-te. Primeiro a misericórdia, seguidamente o socorro, por último a reconciliação.


Cada narrativa se ajusta a cada um de nós: o Redentor auxilia, a Igreja socorre, o Pai reconcilia. A misericórdia da obra divina é a mesma, mas a graça varia de acordo com os nossos méritos. A ovelha cansada é trazida pelo pastor, a dracma perdida é encontrada, o filho regressa pelo seu pé para junto do pai, e retorna plenamente, arrependendo-se do seu desvario. […]


Congratulemo-nos pois porque esta ovelha, que se deixou extraviar em Adão, foi erguida em Cristo. Os ombros de Cristo são os braços da cruz: aí depositei os meus pecados e sobre o generoso pescoço deste cadafalso descansei.

Fonte: Evangelho Cotidiano



Você sabia?

Uma das funções do bispo é a de pastor. Por isso, todos os bispos de nossa Igreja usam um omofório (ōmophórion, cobertura dos ombros) que é uma larga faixa decorada com cruzes.

O seu uso remonta os primeiros séculos do cristianismo e faz referência à parábola da ovelha perdida que o Bom Pastor encontrou e colocou sobre os seus ombros.

Da mesma forma, o bispo tem a incumbência de guiar com segurança seu rebanho.

O omofório representa a autoridade temporal do bispo como Sumo Sacerdote e pastor de seu rebanho, assim, quando se quer dizer que determinada instituição (paróquia, monastério, clérigo etc.) está sob a jurisdição de determinado bispo ou episcopado, fala-se que a tal instituição está sob o "omofório do bispo".

Na foto abaixo, vemos nosso bispo primaz, Mons. Gregório de Arles e de toda a Igreja da Gália, com seu omofório durante a Divina Liturgia.


Mgr Grégoire à Béthanie: homilia de aniversário.

🙏 Rezemos

O Senhor é o pastor que me conduz; não me falta coisa alguma.

Pelos prados e campinas verdejantes ele me leva a descansar.

Para as águas repousantes me encaminha, e restaura as minhas forças.

Ele me guia no caminho mais seguro, pela honra do seu nome.

Mesmo que eu passe pelo vale tenebroso, nenhum mal eu temerei;

estais comigo com bastão e com cajado; eles me dão a segurança!

Preparais à minha frente uma mesa, bem à vista do inimigo,

e com óleo vós ungis minha cabeça; o meu cálice transborda.

Felicidade e todo bem hão de seguir-me por toda a minha vida;

e, na casa do Senhor, habitarei pelos tempos infinitos.


Deus eterno e todo-poderoso, conduzi-nos à comunhão das alegrias celestes, para que o rebanho possa atingir, apesar de sua fraqueza, a fortaleza do seu Pastor.

Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo, pelos séculos dos séculos. Amém.


#OBomPastor #Oração #Domingo


12 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo