A pesca milagrosa

Evangelho do 4¬ļ Domingo depois de Pentecostes


A Liturgia de nossa Igreja recorda neste Domingo as maravilhas ocorridas na "Pesca Milagrosa".


ūüďĖ Leitura do Santo Evangelho de Jesus Cristo, segundo S√£o Lucas 5, 1-11

La Pesca Milagrosa, Nerina Canzi, 2015.

Certo dia Jesus estava perto do lago de Genesaré, e uma multidão o comprimia de todos os lados para ouvir a palavra de Deus.

Viu à beira do lago dois barcos, deixados ali pelos pescadores, que estavam lavando as suas redes.

Entrou num dos barcos, o que pertencia a Sim√£o, e pediu-lhe que o afastasse um pouco da praia. Ent√£o sentou-se, e do barco ensinava o povo.

Tendo acabado de falar, disse a Sim√£o: "V√° para onde as √°guas s√£o mais fundas", e a todos: "Lancem as redes para a pesca".

Simão respondeu: "Mestre, esforçamo-nos a noite inteira e não pegamos nada. Mas, porque és tu quem está dizendo isto, vou lançar as redes".

Quando o fizeram, pegaram tal quantidade de peixe que as redes começaram a rasgar-se.

Então fizeram sinais a seus companheiros no outro barco, para que viessem ajudá-lo; e eles vieram e encheram ambos os barcos, a ponto de quase começarem a afundar.

Quando Simão Pedro viu isso, prostrou-se aos pés de Jesus e disse: "Afasta-te de mim, Senhor, porque sou um homem pecador! "

Pois ele e todos os seus companheiros estavam perplexos com a pesca que haviam feito,

como também Tiago e João, os filhos de Zebedeu, sócios de Simão. Então Jesus disse a Simão: "Não tenha medo; de agora em diante você será pescador de homens".

Eles ent√£o arrastaram seus barcos para a praia, deixaram tudo e o seguiram.


Glória a Ti, Senhor! Glória a Ti!

ūüėä Homilia de nosso bispo, Mons. Jonas

para o Domingo da Pesca Milagrosa


Neste 4¬ļ Domingo depois de Pentecostes, ouvimos de novo, como um refr√£o, o apelo para deixar tudo e seguir Jesus. Ouvimos no Evangelho de hoje que os disc√≠pulos ‚Äúdeixaram tudo o seguiram [Jesus]‚ÄĚ. Nunca sentimos esse chamado em nossos cora√ß√Ķes? Quanta vontade de ser disc√≠pulo de Jesus, de viver como Ele e com Ele! Esta chamada n√£o √© apenas um apelo externo; √© um desejo do nosso cora√ß√£o, uma prova interior de que existe vida real, existe um sentido sublime para a nossa vida: felicidade, paz, confian√ßa e sobretudo a do√ßura do amor.

Eu também quero ser cristão, disseram alguns pagãos, vendo como os cristãos são felizes e até vendo a alegria dos mártires. Eu também quero ser um discípulo, quero fazer parte do círculo de amigos do Senhor. Eu quero segui-lo para estar com Ele todos os dias da minha vida.


Jesus não é qualquer mestre

Mas n√£o vamos √† escola de Jesus como qualquer outro mestre. Jesus nos ensina com a pr√≥pria vida. Ele veio ensinar e mostrar como a vida deve ser vivida, porque Ele √© a Palavra divina, a Palavra em pessoa. Jesus √© Mestre, Rabino, Professor... Ele ensina aos homens e √†s mulheres a vontade do Pai; Ele p√Ķe em suas bocas um peda√ßo do p√£o essencial e di√°rio da palavra do Pai; Ele faz de seus ouvidos uma boca para comer e beber suas pr√≥prias palavras. Nenhum homem ou mulher, nenhum profeta, nenhum guru, nenhum rabino, nenhum professor espiritual jamais falou como Ele fala, pois Ele fala com o poder do Esp√≠rito que habita em si. Ele fala com palavras e fala com a√ß√Ķes, multiplica os peixes do mar ou acalma o mar com uma s√≥ palavra. Nenhum fazedor de milagres, nenhum m√°gico jamais fez as obras que Jesus fez.

O Evangelho nos convida a seguir Jesus. Não a seguir pensamentos humanos, passageiros, nenhum grande iniciado, nenhum estudioso da terra, do ar, do fogo ou da água; nem seguir qualquer líder que se diz cheio de poderes, carismático, agitador político, falso messias ou líder de multidão.

Seguir Jesus exige compromisso consigo mesmo, com Ele e com o próximo. Com o seu Reino, com a sua mensagem, com o seu exemplo de vida.


Confiança e espanto

Todas as ci√™ncias, todos os poderes, todas as doutrinas, todos os dons, todas as teologias, todos os coment√°rios e as exegeses das grandes escolas judaicas, gregas ou crist√£s - tudo isso, como o pr√≥prio sol, empalidece diante da pr√≥pria Pessoa da Palavra que, com o Pai e o Esp√≠rito, criou o c√©u e a terra e tudo o que eles cont√™m. Impressionante e surpreendente √© sua √ļnica presen√ßa; avassaladora √© cada palavra de sua boca divina. Os disc√≠pulos "ficaram perplexos", at√īnitos, mudos diante da Palavra criadora; profundamente conscientes de sua condi√ß√£o diante da santidade do tr√™s vezes Santo: "Afasta-te de mim, pois sou um homem pecador!"

"Santo Deus! Santo Forte! Santo Imortal! Tem misericórdia de mim, pecador!"

Não tenhamos medo, não nos preocupemos, falemos com Jesus no segredo do nosso coração; sigamo-Lo, sejamos seu discípulo, consagremos o nosso coração e a nossa vida Àquele que faz novas todas as coisas. Amém.


ūüėá Diz-nos o bispo

S√£o Jean de Saint-Denis:

"A oração coloca o homem na consciência brutal das coisas objetivas.

Tomemos a ora√ß√£o mais simples, a do Nome de Jesus: ‚ÄúSenhor Jesus Cristo, Filho de Deus, tem piedade de mim‚ÄĚ. Vamos colocar isso na nossa frente.

‚ÄúTem miseric√≥rdia de mim‚ÄĚ: o eu mental imediatamente exclama: ‚ÄúMas √© ego√≠smo - Por que n√£o dizer: tem miseric√≥rdia de n√≥s? Por que desejar minha salva√ß√£o, meu perd√£o, sem incluir os outros? Ou ent√£o pensar√°: "Sim, sou pecador, mas n√£o preciso de piedade". O pecador sente a ferida da autoestima causada pelo pecado mais do que o desejo da miseric√≥rdia divina. Os Padres conhecem essa atitude entre seus penitentes. Estes √ļltimos s√£o especialmente atingidos por faltas que afetam sua dignidade e prestam pouca aten√ß√£o aos pecados reais. Os Pais espirituais √†s vezes pedem que os pecados sejam escritos, e os penitentes quase sempre ficam profundamente surpresos ao ver um pecado que dificilmente consideram s√©rio. √Č o que far√° S√£o Paulo dizer: "N√£o julgo ningu√©m, mas v√≥s n√£o vos julgais, porque n√£o podeis".

A ora√ß√£o paciente nos for√ßa a nos objetivar. Estas seis palavras: ‚ÄúSenhor Jesus Cristo, tem miseric√≥rdia de mim‚ÄĚ, em primeiro lugar ser√£o estranhas. Talvez uma dessas palavras nos toque, mas n√£o expressar√° a totalidade da ora√ß√£o. Algumas almas gostariam de repetir: "Tende piedade". Outros sentir√£o uma certa alegria em dizer o Nome de Jesus novamente, mas a ora√ß√£o em si deve ir al√©m dos estados da alma.

Jean de Saint-Denis [Eugraph Kovalevsky]. Technique de la Pri√®re: Premier cours de la Technique de la Pri√®re de l'√©v√™que Jean. Les √Čditions de Forgeville, 2015.



ūüôĆūüŹĹ Ora√ß√£o

Senhor, que a tua misericórdia esteja sobre nós.

Segundo a esperança que depositamos em Ti!

Pelas ora√ß√Ķes de Nossa Senhora, a M√£e de Deus e Sempre Virgem Maria, de S√£o Jo√£o Batista, o precursor, de S√£o Miguel Arcanjo, de S√£o Jean de Saint-Denis, de S√£o Nicolau de Mira, patrono de nossa igreja, e de todos os santos, des√ßa sobre todos n√≥s a b√™n√ß√£o de Deus Onipotente, Pai e Filho e Esp√≠rito Santo.

Demos graças ao Senhor, pois Ele é bom, e a sua misericórdia é eterna. Amém.


#Oração #EvangelhoDominical

10 visualiza√ß√Ķes0 coment√°rio

Posts recentes

Ver tudo