Epifania

O Senhor deu a conhecer a salvação ao mundo inteiro


Dos Sermões de São Leão Magno

(Sermo 3 in Epiphania Domini, 1-3.5: PL 54,240-244) (Séc. V)


Tendo a misericordiosa Providência de Deus decidido vir nos últimos tempos em socorro do mundo perdido, determinou salvar todos os povos em Cristo.


Esses povos formam a incontável descendência outrora prometida ao santo patriarca Abraão; descendência gerada não segundo a carne, mas pela fecundidade da fé, e por isso comparada à multidão das estrelas, para que o pai de todos os povos esperasse uma posteridade celeste e não terrestre.


Entrem, pois, todos os povos, entrem na família dos patriarcas, e recebam os filhos da promessa a benção da descendência de Abraão, à qual renunciaram os filhos segundo a carne. Que todos os povos, representados pelos três Magos, adorem o Criador do universo; e Deus não seja conhecido apenas na Judéia mas no mundo inteiro, a fim de que por toda parte o seu nome seja grande em Israel (Sl 75,2).


Portanto, amados filhos, instruídos nos mistérios da graça divina, celebremos com alegria espiritual o dia das nossas primícias e do primeiro chamado dos povos pagãos à fé, dando graças a Deus misericordioso que, conforme diz o Apóstolo, nos tornou capazes de participar da luz que é a herança dos santos; ele nos libertou do poder das trevas e nos recebeu no reino de seu amado Filho (Cl 1,12-13). Pois, como anunciou Isaías, o povo que andava na escuridão viu uma grande luz; para os que habitavam nas sombras da morte, uma luz resplandeceu (Is 9,1). E ainda referindo-se a eles, o mesmo profeta diz ao Senhor: Nações que não vos conheciam vos invocarão e povos que vos ignoravam acorrerão a vós (cf. Is 55,5).


Esse dia, Abraão viu e alegrou-se (Jo 8,56) ao saber que seus filhos segundo a fé seriam abençoados na sua descendência, que é Cristo, e ao prever que, por sua fé, seria pai de todos os povos. E deu glória a Deus, plenamente convencido de que Deus tem poder para cumprir o que prometeu (Rm 4,20-21).


Esse dia, também Davi cantou nos salmos, dizendo: As nações que criastes virão adorar, Senhor, e louvar vosso nome (Sl 85,9). E ainda: O Senhor fez conhecer a salvação, e às nações, sua justiça (Sl 97,2).


Como sabemos, tudo isso se realizou quando os três Magos, chamados de seu longínquo país, foram conduzidos por uma estrela, para irem conhecer e adorar o Rei do céu e da terra. O serviço prestado por esta estrela nos convida a imitar sua obediência, isto é, servir com todas as forças essa graça que nos chama todos para Cristo.


Animados por esse desejo, amados filhos, deveis empenhar-vos em ser úteis uns aos outros, para que no reino de Deus, aonde se entra graças à integridade da fé e às boas obras, resplandeçais como filhos da luz. Por nosso Senhor Jesus Cristo, que vive e reina com o Pai e o Espírito Santo por todos os séculos dos séculos.


Eis o dia luminoso, em que Cristo apareceu,

que os profetas anunciaram e que os anjos adoraram.

Ao ver sua estrela, os Magos se alegraram,

oferecendo seus dons.

Um dia santo nos raiou, vinde, povos, e adorai!


Epifania e Missão


O povo de Deus é um povo missionário, e isso vale não apenas para a igreja do Novo Testamento. Deus chamou Abraão para abençoar os gentios através dele, e um dos pecados recorrentes de Israel era o fracasso em realizar essa missão. Israel deveria suscitar adoração nos gentios, mas, em lugar disso, suas idolatrias e pecados fizeram com que o nome do Senhor fosse blasfemado.


O povo de Deus é um povo missionário porque Deus é um Deus missionário. Na eterna vida da Trindade, o Filho procede eternamente do Pai no Espírito, e o Espírito é enviado pelo Pai e pelo Filho. À medida que a Trindade se desdobra no tempo, o Pai envia o Filho, e o Filho exaltado envia o Espírito que Ele recebeu do Pai.


A igreja é o clímax dessa série de envios. Como o corpo de Cristo e um povo nascido do Espírito, a igreja é trazida para dentro dessa missão dupla. Quando Ele envia o Espírito aos seus discípulos, Jesus diz: Como o Pai me enviou, eu vos envio. A missão da igreja não é apenas uma atividade humana. A igreja é uma igreja missionária porque fomos apanhados pelo Espírito na missão do Deus Triúno.


A Epifania, que começa no dia 6 janeiro, significa “manifestação”, e a temporada comemora a aparição de Jesus aos magos, os primeiros frutos da colheita dos Gentios. A Epifania nos lembra de que Jesus veio como a Luz do mundo, e que somos enviados para chamar as nações para essa Luz. Ela nos lembra de que a missão não é uma atividade da igreja, mas a própria essência da igreja.


A temporada da Epifania é uma exortação para sermos o que confessamos ser: uma igreja “apostólica”, um povo enviado.


Texto original: Epiphany and Mission. https://theopolisinstitute.com/epiphany-and-mission/ Tradução: Bruno Pasqualotto Cavalar https://lecionario.com/epifania-e-miss%C3%A3o-6e4305c43dbb



7 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
SOBRE NÓS

A Fraternidade Ortodoxa São Nicolau integra a Igreja Ortodoxa da Gália e participa na restauração da ortodoxia ocidental,  especialmente em suas instituições, sua espiritualidade e seus usos litúrgicos. 

Como a Igreja indivisa, nossa fé não é uma mera adesão intelectual às verdades a serem cridas, mas a experiência dos mistérios que ela confessa.

ONDE NOS ENCONTRAR?

Fraternidade Ortodoxa São Nicolau

+55 (92) 98108-0706

 

Av. Pedro Teixeira, 1001

Manaus/AM

fraternidadesaonicolau@gmail.com

  • Grey Facebook Icon
  • Grey Instagram Icon
CONECTE-SE 

© 2020-2021 por Fraternidade Ortodoxa São Nicolau.